Acessibilidade
Procurar

SNAQ

Comunicados

O chico espertismo (+)

O Direito é Nosso (+)

Aos Congressistas da UIC (+)

Comunicado REFER (+)

Comunicado à população de 9 de Outubro de 2014 (+)

Ferrovia em Portugal Retrocesso 1988-2012 (+)

Comunicado à população sobre "Borlas nos transportes" (+)

Notícias

Quebra do petróleo e turismo seguram saldo comercial (+)

Infrestruturas de Portugal limpam Linha da Beira Alta (+)

CP agrava prejuízos para 118,6 milhões de euros (+)

Tribunal de Contas aponta «falhas relevantes» na execução orçamental (+)

Outras Notícias (+)

Informação

Você está aqui: Inicío
Sábado, 19 Out 2019

Transportes perderam 45 milhões de passageiros em 2012

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Metropolitano em Lisboa protagonizou maior queda no ano passado, tendo perdido 23,9 milhões de validações face a 2011

Os transportes públicos perderam 45 milhões de validações em 2012, de acordo com dados divulgados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). No ano passado, foram movimentados 399,4 milhões de passageiros, o que representou um recuo de 10,4% face aos 444,7 milhões de 2011.

A maior queda foi protagonizada pelo metropolitano em Lisboa, que registou uma redução de 13,4% na procura, tendo perdido, em termos absolutos, 23,9 milhões de passageiros. No Porto, também houve uma descida no número de passageiros transportados no metro, embora apenas de 2,2%, para um total de 54,5 milhões.

Também o transporte fluvial assistiu a um recuo de 12% na procura, passando de 31,2 para 27,4 milhões de passageiros entre 2011 e 2012. Nos comboios, houve igualmente uma quebra, neste caso de 11,3%. A CP transportou no ano passado 132,2 milhões de pessoas, quando tinha alcançado 149,1 milhões em 2011.

Apenas o transporte aéreo escapou à tendência verificada no ano passado, tendo registado um acréscimo de 1,3% no número de passageiros, para um total de 31,1 milhões (em 2011, tinha alcançado 30,7 milhões). Ainda assim, esta subida significa um abrandamento face aos acréscimos expressivos registados nos dois anos anteriores: em 2010 e 2011, a procura neste meio de transporte cresceu 6,7 e 5,9%, respectivamente.

Já o movimento de mercadorias nos portos portugueses manteve-se estável em 2012, com um crescimento de 0,5%, para 67,8 milhões de toneladas, de acordo com os dados divulgados pelo INE. Porém, o número de embarcações entradas caiu 7,9%, fixando-se em 13.069.

Entre Janeiro e Junho do ano passado, verificou-se um desempenho muito positivo na movimentação de mercadorias, tendo-se registado aumentos de 9,1% no primeiro trimestre e de 5,9% no segundo. No entanto, a última metade do ano penalizou os resultados de 2012, muito fruto dos constrangimentos provocados pelas sucessivas greves no sector.

O tráfego internacional correspondeu a 56,3 milhões de toneladas em 2012, ou seja, 83% do total, apresentando um acréscimo de 2,1%. O aumento, ainda que inferior ao registado um ano antes (6,3%), compensou o abrandamento no transporte de mercadorias entre portos nacionais, que caiu 7% no ano passado. Os três principais portos nacionais (Leixões, Lisboa e Sines) concentraram 77,8% do movimento de mercadorias em 2012, sendo de destacar o crescimento homólogo de 10,3% na carga movimentada por Sines.

Por Raquel Almeida Correia in Público de 29 de Maio de 2013