Acessibilidade
Procurar

SNAQ

Comunicados

O chico espertismo (+)

O Direito é Nosso (+)

Aos Congressistas da UIC (+)

Comunicado REFER (+)

Comunicado à população de 9 de Outubro de 2014 (+)

Ferrovia em Portugal Retrocesso 1988-2012 (+)

Comunicado à população sobre "Borlas nos transportes" (+)

Notícias

Quebra do petróleo e turismo seguram saldo comercial (+)

Infrestruturas de Portugal limpam Linha da Beira Alta (+)

CP agrava prejuízos para 118,6 milhões de euros (+)

Tribunal de Contas aponta «falhas relevantes» na execução orçamental (+)

Outras Notícias (+)

Informação

Você está aqui: Inicío
Terça, 12 Nov 2019

Barraqueiro exige 6 milhões

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Por Miguel Alexandre Ganhão, Raquel Oliveira in Correio da Manhã

dinheiro-maoGrupo quer mais dinheiro para o comboio da ponte.

A Fertagus, empresa do Grupo Barraqueiro, que explora o comboio na ponte 25 de Abril, fez um pedido ao Estado de equilíbrio financeiro do contrato de concessão, no valor de 1,5 milhões de euros por ano, a partir de 2012 (inclusive).

São seis milhões que o grupo liderado por Humberto Pedrosa reclama em virtude do aumento, em 50%, dos custos da utilização da infraestrutura ferroviária decretado pela Refer. Segundo apurou o CM, o Governo já nomeou um grupo de trabalho para estudar as pretensões da Barraqueiro.

O sistema remuneratório da concessionária assenta apenas nas receitas decorrentes da exploração do serviço de transporte suburbano de passageiros no Eixo Ferroviário Norte-Sul (concessão Eixo Norte-Sul). No entanto, apesar de não estarem previstos contratualmente encargos para o erário público, a verdade é que há uma exceção para os casos de pedidos de reequilíbrio financeiro. A concessão acaba, no mínimo, em 2026, no máximo, em 2034.